Caminho de Santiago

Credenciais
Dicas
Depoimentos

Eventos

Notícias
Programação
Caminhadas
Encontros
Ecologia
Cultura


Redes Sociais

   
 



Aniversariantes do Mês

- Viviane Viana Silva

- Jeferson de Oliveira

- Andréa Pereira Fróes

- Everton Carlos Siviero do Vale

- Luiz Carlos de Oliveira (Lucarol)

- Priscila Rosa Lemos

- José Ronaldo Cruz

- Ronaldo Faria

- Getúlio Gomes de Oliveira

- José Carlos Barbara

- Daniela de Oliveira Rubinger

- ildeu lucas pereira

- Maria das Dores Carneiro Espíndola

- Lourivaldo Souza Lacerda

- Ariane Evangelista

- Nádia dos Santos oliveira

- Maria Florencio da Costa

- Riccelli Jullie dos Santos

- Celita

- Marília Saraiva Pereira

- Katia Pereira Germano

- Silvana Rodrigues Gonçalves

- Clea Mara Aragão

- iury fernando

- Luiz Carlos GabrielBe

- Maria gorete Fernandes Barbosa

- GERALDO DA SILVA PEREIRA

- Josmar Almeida Magalhães

- Carlos Henrique Peixoto

- Anderson Santiago Vitor

- Edésio Martinho de Oliveira

- DENILSON DE PAULA GONZAGA

- Giovana de Sousa Rodrigues

- Daniela Komaroff Simões

- Marilia de Moura Pires Moreira

- Gisele Fontana Eleutério

- Ana Paula Guimarães

- Denilson de Paula Gonzaga

- Ana Clara de Sousa Ramos Barros

- Nisomar Maciel de Almeida

- valéria rezende vieira de mendonça

- milson Alvares da fonseca

- Rita de Cassia Pinto

- Lenamara Alves Ferreira

- Emiza Macedo Rates

- RAFAEL MENOSSI DO CARMO









POR ESTE MUNDO
Ó Deus, nós te damos graças por este universo, nosso lar; pela sua vastidão e riqueza, pela exuberância da vida que o enche e da qual somos parte. Nós te louvamos pela abóbada celeste e pelos ventos, grávidos de bênçãos, pelas nuvens que navegam e as constelações, lá no alto.

Nós te louvamos pelos oceanos, pelas correntes frescas, pelas montanhas que não se acabam, pelas árvores, pelo capim sob os nossos pés. Nós te louvamos pelos nossos sentidos: poder ver o esplendor da manhã, ouvir as canções dos namorados, sentir o hálito bom das flores da primavera.

Dá-nos, rogamos-te, um coração aberto a toda esta alegria e a toda esta beleza, e livra as nossas almas da cegueira que vem da preocupação com as coisas da vida e das sombras das paixões, a ponto de passar sem ver e sem ouvir até mesmo quando a sarça, ao lado do caminho, se incendeia com a glória de Deus. Alarga em nós o senso de comunhão com todas as coisas vivas, nossas irmãs, a quem deste esta terra por lar, juntamente conosco.

Lembramo-nos, com vergonha, de que no passado nos aproveitamos do nosso maior domínio e dele fizemos uso com crueldade sem limites, tanto assim que a voz da terra, que deveria ter subido a ti numa canção, tornou-se um gemido de dor.

Que aprendamos que as coisas vivas não vivem só para nós; que elas vivem para si mesmas e para ti, que elas amam a doçura da vida tanto quanto nós, e te servem, no seu lugar, melhor que nós no nosso.

Quando chegar o nosso fim, e não mais pudermos fazer uso deste mundo, e tivermos de dar nosso lugar a outros, que não deixemos coisa alguma destruída pela nossa ambição ou deformada pela nossa ignorância. Mas que passemos adiante nossa herança comum mais bela e mais doce, sem que lhe tenha sido tirado nada da sua fertilidade e alegria, e assim nossos corpos possam retornar em paz para o ventre da grande mãe que os nutriu e os nossos espíritos possam gozar da vida perfeita em ti.

(Orações por um mundo melhor, Walter Rauschenbusch, PAULUS, 1997)



Visitas: 76582